| Eu por mim |

Rio de Janeiro
35 anos
capricorniana
mãe do Jota
FELIZ
bem-resolvida




| É passado... |


A novidade
Tô aqui, gente!
Comédia
Arte Profana
Um dia de fúria
Dieta
Da solidariedade
Da amizade
Celebridade BON
A Volta dos Sentidos Verdadeiros


| Arquivos |


Julho 2004
Agosto 2004
Setembro 2004
Outubro 2004
Novembro 2004
Dezembro 2004
Janeiro 2005
Fevereiro 2005
Março 2005
Abril 2005
Maio 2005
Junho 2005
Julho 2005
Agosto 2005
Setembro 2005
Outubro 2005
Novembro 2005
Janeiro 2006
Fevereiro 2006
Março 2006
Abril 2006
Julho 2006
Outubro 2006
Novembro 2009
Dezembro 2009


| Tô aqui também |

Reunião de Blogs
Metendo o Pau!


| Tops |

Aposentados
Bobby Bishop
Cafajeste (quase) Arrependido
Doutores da Alegria
Maldita Honey
Malvados
MusicalMente
Neurons & Shits
O que me define?
Pensar Enlouquece
Ponto Cego
Porta Curtas
Queer Closet
Quem no cosmos?
Se minha cama falasse...
Sopa de Letrinhas
Vai Chegando
ZeroK Begins





| A música do momento |


Ronald is Assassin
Search the Key

Fuck your health, fuck your body
Your life for me is not nothing
I want to vitiate you with my food

Come to hell with me
I love see you so heavy
Don’t see me like assassin
I am Ronald Mc`Donald and
I am just making my job

Please, come eat my delicious potato
Please, come eat my delicious hamburger
Yeah! Listen-me! Don’t eat on Bob`s!

Ronald is assassin
I love see you eat my food
Ronald is assassin
Come to hell with me
Assassin, assassin, assassin…

| Estatística |




on line



| Créditos |


Powered by Blogger

Weblog Commenting and Trackback by HaloScan.com

Bravenet.com

LAYOUT BY CAFA ARREPENDIDO


Layout melhor visualizado em 800 X 600 pixels e I.E. 5 ou superior.



| terça-feira, maio 10, 2005 |


Tá, tá... vou contar. O hotel é M-A-R-A-V-I-L-H-O-S-O! Na verdade é um 'resort'. E o que é um Resort? É um empreendimento hoteleiro de alto padrão em instalações e serviços, fortemente voltado para o lazer em área de amplo convívio com a natureza, na qual o hóspede não precise se afastar para atender suas necessidades de conforto, alimentação, lazer e entretenimento. O que é estar em um Resort? Estar em um Resort é muito mais do que estar em um destino. É viver uma experiência única, num local onde tudo e todos trabalham a favor da total satisfação do hóspede. A estrutura de lazer de um Resort é a mais completa que existe. Há opções para crianças, jovens e adultos, 24 horas por dia, chova ou faça sol. Num Resort, há, também, a oportunidade única e exclusiva de um contato mais próximo com a natureza, de forma sempre agradável, seja na praia, no campo ou na montanha. Existe um clima no ar de alegria, de romance, de total tranqüilidade e liberdade. Tudo é muito especial: a gastronomia, as acomodações, os serviços, enfim, cada detalhe. Não é à toa que o Resort é considerado a melhor opção em hospedagem, lazer e diversão para o turista aqui no Brasil e no mundo. (isso eu copiei daqui).

Então... tem tudo lá, gente! TUDO! A comida é divina (adeus dieta! Mas calma, já voltei pro Rio e pra dieta). Mas fiquei pouquinho, cheguei na quinta por volta das 5pm e saí de lá no sábado no mesmo horário, pq minha mãe operou catarata e eu tinha estar por perto né (eu sei, eu sei, sou boa filha sim, obrigada). Na quinta tava cansada, desfiz a mala, tomei um banho e desci pra jantar. Até queria ir conhecer o Pub, mas meu partner (afe, animado que só ele) não quis ir e eu acabei sucumbindo nos braços de Morpheu.

Na sexta acordamos, breakfast sensacional, subimos pro quarto e ele ficou com preguiça de descer. Eu, 220 volts, desci e fui dar uma volta. Fiquei na dúvida: vou pra praia ou pra piscina??? A visão apolínea do salva-vidas me fez decidir: PISCINA. E lá estava eu, dentro do meu comportado biquíni azul (é verdade gente, comportadíssimo. Não esqueçam que eu sou mãe, e mães não andam com a bunda de fora por aí...), devidamente instalada naquela espreguiçadeira ou sei-lá-o-nome-q-se-dá quando toca meu celular. Era minha amiga Cacá, pra saber das news. Conversa vai, conversa vem, comento do tal salva-vidas. Sabe aquela 'ajeitadinha' básica que o homens costumam dar no dito cujo? Poizé, ele deu. Eu devidamente difarçada sob os óculos escuros, observava cada detalhe. Comentei o fato com Cacá e...

Cacá: -Eles fazem isso de propósito.
Eu: -Hã?
Cacá: - Essa ajeitadinha no pau. É de propósito, pra chamar mesmo a atenção.
Eu (incrédula): - Que isso Cacá, não pode ser. Será que foi pra MINZINHA? Aquilo tudo?
Cacá: - Pra você e todas as outras mulheres que estão em volta, ora essa!
Eu: - Mas Cacá, só tem eu aqui! Eu e dois gringos. (abre parênteses) baixa temporada, o hotel tava vazio pacas (fecha parênteses)
Cacá: - Então é pra tu mesmo, minha filha!

Muita calma nessa hora. Balbuciei mais meia dúzia de palavras desconexas (estava mumificada diante da dúvida...), risadinhas pra cá e pra lá, e desligamos.

Ok, resolvi entrar na água, coisa que ainda não tinha feito. Sentei na beiradinha da piscina com água até as canelas, pra testar a temperatura, tomei coragem e entrei. Fiquei um pouquinho, e saí. Sabe cena de filme? O mulherão saindo da água, subindo a escadinha da piscina balançando os cabelos (geralmente isso ocorre em câmera lenta), tipo comercial de shampoo? Então, foi assim (exceto pelo 'mulherão', tava tudo no script).

Eis que ouço: - e aí, a água tá boa? Fiquei paralizada. Era COMIGO que aquele DEUS GREGO estava falando, era isso? Pasmem, mas era isso. Bom, não me fiz de rogada e respondi, dando início assim a uma loooooonga conversa. Longa mesmo, porque ele sentou na espreguiçadeira ao lado da minha e ficamos lá, batendo papo (com todos aqueles inúmeros pensamentos proibidos cruzando minha mente). Tipo, em meia hora eu sabia a vida toda (ou quase) do cara: nome, estado civil (não preciso mencionar a relevância dessa informação, né?), onde morava, com quem morava (muito importante), enfim só faltou ele dizer: quero deixar bem claro que estou solteiro, disponível e cheio de amor pra dar (isso foi por conta da minha mente oportunista, lógico).

Mas tá né? A hora foi passando e ele tinha que sair dali. Explico: ele é monitor de lazer do hotel, e das 15h às 18h ele tinha que ficar na equipe do
arvorismo. Aí ele disse: - vai lá fazer, é bem bacana. Eu? Ficar a meeeeetros do chão com aquele homão me segurando e ensinando como se faz? Corri pro quarto, tomei um banho (e coloquei aquelas estratégicas gotinhas de perfume), coloquei meu all star e fui, lógico. Foi muito bacana gente, adrenalina pura. Bati fotos, mas como não foi na digital, vocês vão ter que esperar a revelação (pré-histórico, eu sei).

Em resumo: fiz amizade com toda equipe de lazer e, no dia seguinte, quando fui me despedir de todos, ganhei um pedacinho de papel com o telefone do tal Adonis.

Tô numa dúvida... :P


Postado por Tati às 19:07